quarta-feira, 24 de junho de 2009



Quem veio primeiro? O ovo, a galinha ou o publicitário que criou essa joça?

As artes nunca encontraram um terreno muito fértil no Brasil pra se desenvolver plenamente. Basta a gente observar que quando o genial Michelangelo deu os últimos retoques no colossal afresco no teto da capela sistina em 1512 éramos ainda uma imensa floresta povoada basicamente por botocudos ferozes. A Imprensa só chegou por aqui junto com D. João VI e Cia ltda. com séculos de atraso. Escolas e universidades também são um fenômeno extremamente recente em nosso país. Dito isso fica fácil entender porque, por aqui, as artes nunca grassaram. A classe artística, com exceção de alguns gatos pingados, vive em um estado quase permanente de indigência. A indigência só não é generalizada graças à algumas empresas que, na ausência quase total de interesse por parte do estado, entenderam ser importante ter suas marcas atreladas à cultura criando assim programas de incentivo e patrocínio. Dentre as poucas empresas estatais que investem na cultura, a Caixa é uma das mais graúdas. Mas de que adianta incentivar a cultura com um anúncio de merda desses?? Santo Pai... Já sei! Os imbecis que criaram a peça devem ter pensado que por se tratar de um anúncio sobre arte tinham que "chocar", ser super vanguarda, "diferentex", modernoso. O anúncio nos brinda com uma modelo usando um penteado ridículo em forma de ninho de jaburu cheio de ovos! 
Que coisa mais desatinada. Isso é o que eles consideram avançadinho? avant la lettre? O título tenta dialogar com a imagem afirmando que "tudo que acontece aqui nasce  na sua cabeça". Ah! Entendi! Nasce aqui é uma referência aos ovinhos, né? São uns medíocres, isso sim. Aliás, eu até enxergo futuro pra eles sim. Como malabaristas de sinal de trânsito.

6 comentários:

Giuliano disse...

Ruim, ruim mesmo.

A tipologia é tosca também e a imagem não tem analogia alguma com arte.

Triste de ver, e de ler.

cadeorevisor disse...

Realmente feio. E a assinatura da Caixa não pode ficar à direita da assinatura do governo.

Abraço,

Pablo
http://cadeorevisor.wordpress.com

Bia disse...

Tão feio que me deu nojo.

PPC disse...

Interessante o texto.. parabéns... pra vc, não pro publicitário que criou a peça... a profissão de publicitário é regulamentada? é necessário diploma??? acho que não... então, aguarde as próximas manchetes de jornal, sem a obrigatoriedade de diploma.. aí, vc vai ter assunto pra comentar no blog.. hehehaeh...

Detetive Saulo Rocha disse...

Nasce na cabeça e cresce no intestino...

Mila disse...

Achei engraçado que os ovos são de codorna. Isto é, a produção também passou longe de ser cuidadosa. Mas até entendo: a agência apresenta o custo de foto e o cliente diz "isso tudo não!". É complicado...

Mas, no geral, acho que arte é um assunto tão rico que poderiam ter achado outra pegada.